Elis…

Elis

Lá se vão quase 30 anos da morte da “pimentinha”. Lembrei-me dela nessas eleições,,, Mulheres na presidencia… Que bacana … A Pimenta adoraria ver isso! Não sei se gostaria da idéia, sempre a via cercada por homens…, musicos, amigos, cantores etc… O lance era transitar como um líder no ambiente “masculino”. Guerreira que era, Elis, Furacão Elis, como disse Regina Echeverria…. essa menina, mulher, senhora, tão jovem e pra sempre jovem senhora, teria muito o que falar nessa época duvidosa em que as mulheres estão no comando da nação. Bom, Elis, voce sempre será lembrada, não só por sua voz de cristal, mas tambem pela sua notável visão inovadora e a frente do seu tempo. Ficamos assim, sem Elis, mas com um eco ressonante nos ouvidos com a sua voz dizendo: ” …Mas sei, que uma dor assim pungente, não há de ser inutilmente a esperança…”

Angelo Gustavo V. Lima